quinta-feira, 1 de fevereiro de 2024

Peça do mês - fevereiro

 


Uma Incroyable

Aguarela sobre papel

Luis Jiménez Y Aranda

1881

54,8 cm X 36,8cm

CP – MA

Inv. Nº 84.812

O título da peça do mês de fevereiro situa-nos em pleno na sua temática, muito grata à quase sempre discreta, mas efetiva crítica de costumes que marcou presença na pinturaespanhola do último quartel do século XIX, sob o impulso do Realismo Social, Incroyable era a designação dada com sentido irónico, na França do Diretório (1795-1799), quando o rigorismo dos tempos de terror começou a ser substituído por um preciosismo da indumentária e das maneiras de se apresentar em público.

A obra apresenta ao centro, no plano principal, uma jovem, ricamente vestida, segundo os ditames da moda daquele período, com vestido comprido, de cintura alta e mangas curtas, em tons de azul e verde sobre um fundo branco, xaile das mesmas cores polvilhado de motivos florais em tons mais fortes. As mitenes de cano alto, o chapéu, preso por fitas que descem sobre o decote, e os sapatos com aplicações típicas do vestuário rococó, não faltam o colar e os brincos. Destaca-se o leque em cima de uma requintada casaca, de interior forrado de arminho (indício de pessoa de alta condição) pousado numa cadeira ao seu lado. O enquadramento da sala vazia, sugere a atmosfera faustosa do salão de baile de um hotel dos inícios do século XIX, com o chão coberto por um grande tapete de Aubusson e a parede fundeira com painéis de decoração clássica.

O pintor Luis Jiménez Y Aranda (1845-1928) estudou na Real Academia de Artes de Santa Isabel da Hungria, em Sevilha, mais tarde em Madrid e em Roma (cerca de dez anos), parte de seguida para França, aqui participa na Exposição Universal de Paris, em 1889, e participa também na de Munique, em 1890, ganha reconhecimento nas obras que retratam cenas da vida quotidiana e costumes espanhóis.

A obra de arte pertenceu à antiga coleção de Vicente Garcia Vela e foi adquirida por José Relvas, pela quantia de 1.000 pesetas, a Enrique Ventura.


Sem comentários:

Enviar um comentário