quarta-feira, 1 de maio de 2024

Peça do mês - maio

 

Retrato de Velha

Óleo sobre tela

José Malhoa

Século XX (1903)

22,6 cm X 17,8 cm

CP – MA

Inv. Nº 85.490

A peça do mês de maio é uma pintura a óleo sobre tela colada em madeira, da autoria de José Malhoa. Um Retrato de Velha voltado a três quartos para a direita do observador. Veste blusa branca, coberta por um colete em tons de castanho com traços de vermelho. Sobre a cabeça, um lenço vermelho, que lhe cai pelos ombros coberto por um chapéu de abras largas, de palha. O fundo do retrato é constituído por largas pinceladas em tons de azul, verde e roxo.
O artista nasceu nas Caldas da Rainha, a 28 de abril de 1855 e morreu em Figueiró dos Vinhos a 26 de outubro de 1933, oriundo de uma família humilde, ainda jovem parte para Lisboa, aprender o ofício artesanal de entalhador. Em 1867 com 12 anos, enquanto estudante, ingressa na Academia Real de Belas Artes onde cursa pintura e trabalha também no comércio. José Malhoa foi discípulo de Miguel Lupi (1826-1883) e Tomás da Anunciação (1818-1879); não tem formação no estrangeiro, apesar de concorrer ao pensionato em Paris, nunca o frequentou e dedica-se unicamente ao trabalho no comércio, ficando a pintura para as horas vagas.
Em 1881 inicia o Grupo do Leão, este grupo era uma tertúlia artística e literária que reunia artistas formados na estética do naturalismo. Com o Grupo do Leão expôs em 1881 e obteve um grande sucesso. A partir desta data vive unicamente para a arte, concorria a todas as exposições e no seu atelier ensina a sua arte a vários discípulos. Com uma formação naturalista José Malhoa mostra-nos o Portugal real, um país rústico e burguês onde existem várias cenas que com a beleza da pintura são retratadas, dá-nos a conhecer a realidade portuguesa da época em que viveu.
A moldura é em madeira e gesso, pintada a ouro a velho. No interior, um friso do perlado; no exterior um toro de louro, passado por uma fita nos cantos.
A obra de arte foi oferecida a José Relvas, por José Malhoa, em 1903.

Sem comentários:

Enviar um comentário