segunda-feira, 1 de julho de 2024

Peça do mês - julho

 

Do Alto do Castelo (Abrantes)

Óleo sobre cartão

José Serra da Motta

1929 (Século XX)

44,2 cm X 57,4 cm

CP – MA

Inv. Nº 85.499


Em julho, a peça do mês é uma pintura a óleo sobre cartão, é uma composição com vista do rio tejo (em Abrantes), representada a partir de uma elevação. Em primeiro plano, ao centro, uma casa e dependências, com vários telhados. À esquerda desta, para o observador, duas árvores altas. O resto da encosta é preenchido por vegetação rasteira e alguns arbustos. No vale, o rio tejo, com águas azuis, bastante assoreado, vendo-se diversos areais. Nas margens, algum arvoredo. No horizonte vislumbra-se a silhueta de uma serra. O céu, que ocupa o quarto superior da composição, apresenta cor azul, com algumas nuvens brancas e cinzentas junto à linha do horizonte. No canto inferior direito, em duas linhas, a assinatura e data J. Motta/1929.

O pintor José Sebastião Serra da Motta (1883 – 1943) nasceu na cidade de Abrantes, em 10 de dezembro de 1883. Desde cedo manifestou o gosto pelas artes e a sua vocação de artista, começando a pintar a óleo aos 18 anos. Frequentou a Faculdade de Direito, mas nunca abandonando o desenho. Concluiu o curso de Direito em 1908 e estabelece-se em Abrantes, como notário.

Pintor autodidata, procura os conselhos de artistas consagrados que lhe reconheciam o valor (salientando-se o Mestre António Saúde de quem foi aluno e grande amigo). A partir de 1915, começa a expor no Salão da Primavera da Sociedade de Belas Artes onde foi premiado.

A pintura Do alto do Castelo (Abrantes), foi exposta na Vigésima Sexta Exposição da Sociedade Nacional de Belas Artes, inaugurada a 25 de abril de 1929 e premiada com a medalha de 2ª classe. De destacar que esta foi uma das últimas obras a integrar a coleção de José Relvas (1858-1929).